Os bombeiros parisienses conseguiram salvar a estrutura de Notre Dame, em Paris, e continuavam lutando contra o incêndio que derrubou a flecha, o ponto mais alto do monumento, reduzindo a cinzas boa parte do telhado e que manteve o mundo em suspense durante horas.

"Vamos reconstruir" a catedral, prometeu pouco antes da meia-noite desta segunda-feira (15) o presidente Emmanuel Macron.

"O pior foi evitado, embora ainda não tenhamos vencido a batalha totalmente", acrescentou o presidente francês, visivelmente emocionado, antes de agradecer aos bombeiros por terem salvo as duas torres e a fachada do monumento.

"Podemos considerar que a estrutura está a salvo e preservada em sua globalidade", informou o comandante do corpo de bombeiros de Paris, Jean-Claude Gallet.

Era a notícia que toda a cidade aguardava há horas, com o coração na mão.

"O fogo diminuiu de intensidade", declarou o secretário do Interior, Laurent Nuñez, muito aliviado. Pouco antes, havia dito que não estava certo de que pudesse "frear a propagação na torre norte".

É desconhecida a origem do incêndio, declarado por volta das 18H50 locais (13H50 de Brasília) na parte superior da catedral e se propagou rapidamente para o telhado.

Vista aérea da catedral de Notre-Dame de Paris durante o incêndio de 15 de abril de 2019 Vista aérea da catedral de Notre-Dame de Paris durante o incêndio de 15 de abril de 2019

O fogo queimou o teto de madeira de mais de cem metros de comprimento, conhecido como "a floresta", pelo grande número de vigas utilizadas para instalá-lo.

Os bombeiros afirmam que o incêndio está "potencialmente ligado" às obras e uma investigação judicial por "destruição involuntária" foi aberta. Os investigadores privilegiam a pista de incêndio acidental, iniciado no teto da catedral.

As chamas se propagaram rapidamente e uma enorme nuvem de fumaça, visível a quilômetros de distância, envolveu o monumento histórico mais visitado da Europa em plena Semana Santa.

Em pouco mais de uma hora, o fogo pôs abaixo a agulha de 93 metros de altitude, provocando um grito de horror na multidão que se aglomerava nas pontes do Sena e nas ruas vizinhas.

Com sua queda, desaparece parte da história da Cidade Luz. "Paris está desfigurada. A cidade nunca voltará a ser como antes", lamentou Philippe, um francês de 30 anos.

Vista de la catedral Notre Dame de París durante un incendio el 15 de abril de 2019 Vista de la catedral Notre Dame de París durante un incendio el 15 de abril de 2019

"Tudo está sendo devorado pelas chamas. Não vai restar nada da estrutura, que data do século XIX de um lado e do XIII do outro", disse à AFP o porta-voz da catedral gótica, André Finot, temendo o pior.

Ao redor de 400 bombeiros estão mobilizados com mangueiras após descartar o uso de aviões tanque para evitar que a pressão d'água provocasse o colapso do monumento.

A prefeitura de Paris pôs em andamento uma operação para salvar todas as obras de arte.