Uma espécie de tartaruga gigante que se acreditava estar extinta há mais de 100 anos foi encontrada na ilha de Fernandina, em Galápagos, de acordo com o governo do Equador.

A espécie Chelonoidis Phantasticus, originária da própria ilha de Fernandina, foi vista pela última vez em 1906.

A tartaruga é uma fêmea adulta e especialistas acreditam que ela não está sozinha. Os rastros e o cheiro de outras tartarugas, que se acredita serem da mesma espécie, também foram observados por uma equipe do Parque Nacional de Galápagos (PNG) e da Galapagos Conservancy, sediada nos EUA.

A tartaruga redescoberta é uma das 14 espécies de tartarugas gigantes nativas de Galápagos, a maioria das quais estão ameaçadas de extinção. As tartarugas foram mortas por seres humanos nos últimos dois séculos. Segundo a Galapagos Conservancy, alguns dos motivos foram a carne da tartaruga e a produção de óleo do animal.

O arquipélago de Galápagos inclui 19 ilhas no Oceano Pacífico a aproximadamente 1.000 km da costa equatoriana. Fernandina é a terceira maior ilha de Galápagos e possui o vulcão La Cumbre, um dos mais ativos do mundo. O arquipélago fica a cerca de 1.000 quilômetros da costa do Equador.

Ao listar a tartaruga Fernandina como possivelmente extinta, o grupo conservacionista disse também em seu site que as espécies podem ter sucumbido aos “frequentes fluxos de lava vulcânica que quase cobrem a ilha”.

Galápagos abriga espécies e animais selvagens únicos, cujas características ajudaram Charles Darwin a desenvolver sua teoria da evolução. O arquipélago foi declarado patrimônio mundial da Unesco em 1979.