Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Política
Publicada em 30/11/2018 às 15h35
Moro anuncia comandantes do Coaf e da Senad

 

Moro anuncia comandantes do Coaf e da Secretaria de Políticas de Drogas

O futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, anunciou nesta sexta-feira (30) mais dois nomes para a sua equipe de governo.

Para o comando do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), ele anunciou o nome de Roberto Leonel, auditor e chefe da área de inteligência da Receita Federal.

Moro lembrou que a ideia é transferir o Coaf da Fazenda para a Justiça, o que ainda depende da aprovação do Poder Legislativo. "Eu considero que a mudança para o Ministério da Justiça é oportuna", disse.

Em entrevista, Moro também informou que a Senad (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas) será conduzida pelo procurador da Fazenda Nacional Luiz Roberto Beggiora. 

O futuro ministro também avalia contar em sua equipe com Marcio Anselmo, que veio da Lava Jato e trabalhou com o ex-juiz federal durante o início da operação, tendo sido peça fundamental.

Desde que aceitou o convite para assumir o Ministério da Justiça, Moro cercou-se de delegados da Polícia Federal para os cargos estratégicos e definiu as principais linhas de atuação para a pasta.

Para cinco dos principais postos do próximo ministério, os indicados são todos da Polícia Federal: Maurício Valeixo, que será diretor-geral do órgão, Luiz Pontel de Souza, secretário-executivo, Rosalvo Ferreira, secretário de Operações Policiais Integradas, Fabiano Bordigon, chefe do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) e Erika Marena, chefe do DRCI (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação).

Diariamente presente no gabinete de transição do governo, em Brasília, o ex-juiz federal vem demonstrando que tratará como prioridade duas das principais bandeiras de campanha do presidente eleito: o combate à corrupção e a redução dos números de violência.

Os discursos e as nomeações até agora foram nesse sentido, tendo como modelo declarado o da Operação Lava Jato, carro-chefe de sua carreira na Justiça Federal.

A estrutura anunciada por Moro tem o objetivo central de mirar o combate à lavagem de dinheiro, tanto para crimes de corrupção como para tráfico de drogas, e, de outro lado, trabalhar em cima da integração entre policiais de todo o país. Serão esses os principais pilares da próxima gestão.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, a estratégia do novo ministério será de asfixiar o crime organizado, atacando o patrimônio dos envolvidos.

'ESCOLHA CERTA'

Mais cedo, Moro encontrou casualmente o ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto.

Os dois se cumprimentaram em restaurante do&n