Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Política
Publicada em 17/07/2015 às 10h56
Cunha anuncia rompimento com governo
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou nesta sexta-feira (17) seu rompimento político com o governo Dilma Rousseff. Segundo Cunha, a partir de agora ele passará a integrar as fileiras de oposição à gestão petista. "Eu, formalmente, estou rompido com o governo. Politicamente estou rompido", enfatizou Cunha em coletiva de imprensa no salão verde da Câmara. O peemedebista acusa o Palácio Planalto de ter se articulado com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para incriminá-lo na Operação Lava Jato. Nesta quinta (16), o ex-consultor da Toyo Setal Júlio Camargo relatou à Justiça Federal do Paraná que Cunha lhe pediu propina de US$ 5 milhões. Um dos delatores do esquema de corrupção que atuava na Petrobras, Camargo afirmou em seu depoimento, em Curitiba, que foi pressionado por Cunha a pagar US$ 10 milhões em propinas para que um contrato de navios-sonda da estatal fosse viabilizado. Do total do suborno, contou o ex-consultor, Cunha disse que era "merecedor" de US$ 5 milhões. Camargo, que é ex-consultor da empresa Toyo Setal, afirmou à Justiça que, sem ter recurso para pagar a propina exigida, Cunha o ameaçou com um requerimento na Câmara, solicitando que os contratos dos navios-sonda fossem enviados ao Ministério de Minas e Energias para avaliação e eventual remessa para o Tribunal de Contas da União (TCU). Apesar das duras críticas desferidas contra o governo durante a entrevista, o presidente da Câmara disse que o rompimento não significa que haverá o "fim da governabilidade". "O fato de eu estar rompido com o governo não vai afetar a relação institucional", complementou o peemedebista. Ele assegurou que continuará a pautar os projetos, inclusive, de interesse do Planalto, mas fez um alerta: "Saiba que o presidente da Câmara agora é oposição ao governo”. Após o teor do depoimento de Júlio Camargo vir à tona, o presidente da Câmara rebateu as acusações e disse que o procurador-geral da República, a mando do governo, obrigou o delator a mentir em seu depoimento para constranger o Legislativo. Na visão dele, o Planalto está por trás de uma tentativa de "constranger" o parlamento, em articulação com o procurador-geral da República. Nesta sexta, Eduardo Cunha acusou o governo de ter orquestrado uma ação “faraônica” para constranger o Congresso Nacional, com os mandados de busca e apreensão da Polícia Federal executados na última terça (14) nas casas dos senadores Fernando Collor (PTB-AL), Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e Ciro Nogueira (PP-PI). Atritos com o governo Cunha assumiu a presidência da Câmara em fevereiro passado ao derrotar um candidato do governo. Antes, ele era líder do PMDB na Casa e já havia capitaneado diversas revoltas na base aliada que resultaram em derrotas ao Executivo nas votações. O PMDB é o principal partido na coalizão liderada pelo PT, mas constantes atritos entre as legendas só levaram a um acirramento da tensão. Desde que chegou ao comando da Câmara, Cunha tem elevado o tom das suas críticas e já atacou publicamente a aliança com o PT e defendeu a saída do vice-presidente da República, Michel Temer, do cargo de articulador político do governo. Retaliações Em retaliação ao governo, Cunha deve começar com a instalação de CPIs incômodas ao governo, como a do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) e a dos fundos de pensão. Ele também já prepara terreno para votar as contas do governo de 2014 da presidente Dilma, que devem ser julgadas em agosto pelo TCU. Auditores da corte apontaram diversos indícios de irregularidades, incluindo as chamadas “pedaladas fiscais”, que são os atrasos de repasses do governo a bancos públicos para pagamento de programas sociais, como o Bolsa Família. Para o TCU, essa prática configura empréstimo e viola a Lei de Responsabilidade Fiscal. Cunha anunciou que irá começar a votar as contas pendentes de governos anteriores em agosto, o que abrirá terreno para analisar a de Dilma em seguida. O peemedebista já avisou também que essa análise será “política” e não técnica, como quer o Planalto. Cunha disse ainda que deverá decidir, em até 30 dias, se aceita ou não o pedido de abertura de processo de impeachment da presidente da República apresentado, em maio, por integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL).
MAIS NOTÍCIAS
25/02/2020ONU alerta para "banho de sangue" na Síria
23/02/2020Sanders vence prévia democrata de Nevada
21/02/2020General Heleno ganha respaldo de ministros
21/02/2020Datena flerta com Bruno Covas e dispensa Bolsonaro
20/02/2020Governo adia envio de reforma administrativa
20/02/2020Ataques reacendem tensão entre governo e Congresso
19/02/2020Partidos pedem cassação do mandato de senador
16/02/2020Cabral delata a própria mulher em propina
13/02/2020Deputado chama Moro de "capanga de milícia"
12/02/2020Jair Bolsonaro troca Onyx por general
12/02/2020Guaidó é atacado por apoiadores de Maduro
12/02/2020Eike cita propina de R$ 20 milhões para Aécio Neves
04/02/2020Cabral diz que Pezão montou esquema de propina
27/01/2020Hilux de Ciro Gomes penhorada para indenização
27/01/2020Bolsonaro critica Witzel por gravar Mourão
24/01/2020Juan Guaidó pede ajuda contra Maduro
24/01/2020Juan Guaidó pede ajuda contra Nicolás Maduro
24/01/2020Bolsonaro não vai separar ministério de Moro
02/01/2020Bruno Covas diz que é candidato à reeleição
02/01/2020Bruno Covas diz que é candidato à reeleição
02/01/2020Site de oposição diz que 631 morreram em protestos
25/12/2019Jair Bolsonaro despista sobre Moro como vice
17/12/2019Ex-presidente do Paquistão é condenado à morte
17/12/2019Aprovado fundo eleitoral de R$ 2 bilhões para 2020
10/12/2019CCJ do Senado aprova projeto da prisão 2ª instância
09/12/2019Expectativa no governo de Fernández
29/11/2019Luís Lacalle Pou é o novo presidente do Uruguai
27/11/2019Centrão pede a Bolsonaro para liberar jogos de azar
25/11/2019Fachin mantém julgamento de Lula para quarta-feira
19/11/2019Bolsonaro assina carta de desfiliação do PSL
19/11/2019Ex-presidente do Paraguai é alvo de mandado de prisão
19/11/2019Flávio Bolsonaro se desfilia do PSL
18/11/2019Presidente da Bolívia quer novas eleições
18/11/2019Fachin manda investigar apoio para Cunha
11/11/2019Ciro Gomes afirma que Lula não tem escrúpulo
11/11/2019México concede asilo político a Evo Morales
11/11/2019Jair Bolsonaro deve anunciar saída do PSL
11/11/2019Major Olímpio pede prisão preventiva de Lula
11/11/2019Evo Morales renuncia e denuncia ordem de prisão
10/11/2019General Heleno surpreende a ala militar com estilo agressivo
10/11/2019Evo Morales anuncia novas eleições na Bolívia
10/11/2019Lula ataca Sílvio Santos e Fausto Silva
08/11/2019Vejam quem pode ser solto após decisão do STF
08/11/2019Apoiadores de Lula fazem festa e oferecem cachaça
06/11/2019PF pede prisão de Dilma e Mantega e Fachin nega
04/11/2019Bolsonaro diz que acabou mamata da Rede Globo
01/11/2019Partidos podem prestar contas todo mês
30/10/2019Chile é palco de novos protestos e incêndios
28/10/2019Bruno Covas tem câncer no estômago com metástase
21/10/2019Eduardo é o novo líder do PSL na Câmara
17/10/2019Líder do PSL diz Bolsonaro ser vagabundo
17/10/2019Filhos de Bolsonaro destituídos de diretórios do PSL
17/10/2019Bolsonaro tira Joice da liderança do governo
17/10/2019Deputado "infiltra" em reunião do PSL e grava líder
17/10/2019Líder do PSL acusa Bolsonaro de querer destituí-lo
15/10/2019Bivar quer destituir filhos de Bolsonaro do PSL
15/10/2019Frota quer tirar Bolsonaro da presidência
11/10/2019Bolsonaro vai pedir auditoria nas contas do PSL
11/10/2019Bolsonaro vê Datena como opção em SP
06/10/2019Socialista vence as eleições em Portugal
04/10/2019Sérgio Moro diz que Bolsonaro é o seu candidato em 2022
03/10/2019Advogado diz que organização tentou matar Bolsonaro
02/10/201913 senadores traíram Jair Bolsonaro
02/10/2019Flávio Bolsonaro votou contra veto do pai
26/09/2019Bolsonaro diz que Raoni "não fala a nossa língua"
24/09/2019Na ONU, Bolsonaro ataca Macron, Cuba e Venezuela
24/09/2019Bolsonaro discursa na ONU
23/09/2019Bolsonaro viaja e discursará amanhã na ONU
22/09/2019Planalto avalia substituto para Bezerra
22/09/2019PSDB garante que Aloysio Nunes é inocente
21/09/2019Indígena pró-Bolsonaro presente no discurso na ONU
17/09/2019Temer chama impeachment de "golpe"
17/09/2019Lula volta a atacar a Globo
15/09/2019Militares perdem poder para evang?licos
13/09/2019Capitão oferece recompensa para matar assassino
07/09/2019EUA cancelam reunião secreta com Talibã
07/09/2019Guatemala decreta estado de sítio
07/09/2019Indicado para PGR tem apoio em comissão
27/08/2019Oriani é pré-candidato e economia preocupa
22/08/2019Flávio Bolsonaro não apoia ningu[em para a PGR
22/08/2019Executiva do PSDB não expulsou Aécio Neves
22/08/2019Haddad é condenado por caixa dois
21/08/2019Processos contra Raupp e Jucá devem ficar em Curitiba
19/08/2019Mandato de governador de Sergipe é cassado
19/08/2019Presidente do Senado quer manter sigilo de gastos
19/08/2019Senado resiste a nome de Eduardo para embaixada
19/08/2019Moro e Ernesto barram alto escalão de Maduro
19/08/2019Tucanos querem barrar Frota no PSDB
19/08/2019PSDB começa a analisar expulsão de Aécio
18/08/2019Bolsonaro diz que Argentina será Venezuela
14/08/2019Justiça bloqueia R$ 20 milhões de Beto Richa
14/08/2019Wanderlei Oriani é pré-candidato a prefeito de PVH
13/08/2019Comissão quer explicaçao de Manuela com hackers
13/08/2019Alberto vence primárias na Argentina
13/08/2019Moro diz que não quer disputar presidência
13/08/2019Procuradoria vai à Justiça contra Eduardo
13/08/2019Bolsonaro vai acabar com radares móveis em estradas
09/08/2019Partido entra no STF contra Eduardo