Suas Notícias
ÍNDICE


COLUNISTAS
Jussara Gottlieb
Social
Cândido Ocampo
Auditoria no novo Código
Kátia Alves
Pragas urbanas
Wilson Santos
Trânsito Brasil
Marcelinho
Blog do Marcelinho
Pedro Marinho
Blog do Pedro Marinho
Geral
Publicada em 03/01/2014 às 11h21
Simulador torna mais cara primeira CNH

A obrigação de que candidatos à primeira habilitação façam aulas de direção em simuladores tornará ao menos R$ 200 mais caro tirar a carteira de motorista.

A norma que impõe uso de simuladores entrou em vigor anteontem em todo o país.

Serão cinco aulas obrigatórias de meia hora cada, conforme resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Cada uma custará em média R$ 40, segundo o Sindicato das Auto e Moto-Escolas do Estado de São Paulo.

A considerar que a primeira habilitação em São Paulo custava, antes da obrigatoriedade do simulador, R$ 1.200 (segundo o sindicato), isso representará aumento de 16% no custo para o condutor.

O preço varia nos Estados. Em Santa Catarina, cinco aulas sairão por R$ 284. Lá o valor é tabelado pelo Estado.

As autoescolas repassarão a despesa para o condutor -sindicatos da categoria em todo o país protestaram em Brasília em dezembro para barrar a medida, sem sucesso.

Entre as queixas estão o fato de não haver comprovação da eficácia da medida e que o simulador é caro -o uso deveria ser facultativo, dizem.

Um equipamento custa até R$ 40 mil. A maioria das autoescolas optou pelo comodato, espécie de aluguel por mensalidades entre R$ 750 e R$ 2.000, a depender do número de aulas no simulador.

O Detran paulista diz que o compartilhamento é permitido. Quatro empresas estão aptas a fornecer os aparelhos.

  Editoria de Arte/Folhapress  

INÍCIO

Quem deu entrada ontem no pedido de primeira habilitação só usará o simulador daqui a alguns dias. Antes, precisará cumprir outras etapas, como colher as impressões digitais, fazer exame médico e frequentar aulas teóricas, o que pode levar de 15 a 45 dias.

A simulação entra antes das aulas de direção práticas. Os condutores aprenderão de conceitos básicos, como trocar a marcha, a dirigir sob aquaplanagem e neblina.

Essa é uma das vantagens do simulador, diz José Guedes Pereira, do sindicato das autoescolas: permitir que o motorista vivencie condições que não encontra sempre nas aulas práticas.

A resolução deveria ter entrado em vigor seis meses atrás, mas as autoescolas obtiveram do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) o adiamento do prazo.

O Rio Grande do Sul pediu nova prorrogação, o que o Denatran negou que irá fazer.

O governo decidiu torna obrigatórios os simuladores em 2010, motivado por um pacto na ONU para redução até 2020 de 50% na mortalidade por acidentes de trânsito.

MAIS NOTÍCIAS
23/02/2020